Empresas não transformam mercados nem a vida de outras pessoas; são as pessoas que fazem isso.

Empresas são a melhor forma de potencializar recursos para tornar essa transformação possível.

Porém, a fagulha virá sempre do indivíduo.

Se você telefonar para a Amazon agora, você será atendido por uma pessoa e não por uma entidade chamada Amazon. Sim, eu já liguei. Duas vezes. Foram duas experiências de atendimento incríveis, mas isso é outro papo.

Todos os grandes projetos dos quais participei ou que acompanhei de perto tiveram a mesma origem. Alguém, incomodado com um problema, se comprometeu com a questão e movimentou os recursos da organização para resolvê-lo.

É comum ouvir gente dizendo: “a empresa deveria estar olhando para isso”, “até quando vamos conviver com tal situação sem ninguém resolver”, “se nosso produto tivesse aquela funcionalidade que o cliente pediu, a empresa venderia muito mais”.

No nível mais essencial, não existe “a empresa”. Existem pessoas que trabalham juntas por um propósito comum.

Se dentre essas pessoas, você é quem está enxergando um problema e sua possível solução, provavelmente você é o indivíduo que deveria tomar a iniciativa de resolvê-lo.

Adote essa atitude e perceba o que acontecerá em sua carreira.

Mãos à obra!