Até quando sua empresa vai durar?

Tem empresas que, simultaneamente, prestam um serviço ruim ao cliente, possuem funcionários insatisfeitos e deprimidos, além de forçar uma constante relação ganha-perde com parceiros e fornecedores.

Pergunta número 1: esse tipo de empresa é boa para quem? (Se sua resposta foi “acionista”, emendo outra questão: esse cenário é sustentável sob o ponto de vista do investidor?)

A situação descrita acima ainda é muito comum em setores cuja regulação é forte e/ou que possuem custos proibitivos para novos entrantes.

Ocorre que o barateamento das tecnologias da informação e comunicação tem tornado a barreira do investimento exponencialmente irrelevante e a regulação tende, cedo ou tarde, a acompanhar a vontade real do consumidor.

Isso é o que está acontecendo em setores como telefonia e financeiro, só para citar dois exemplos.

Daí vem minha pergunta número 2: até quando você acha que sua empresa vai sobreviver sendo medíocre, confiando que o cliente “precisa” do que você oferece e não satisfazendo nenhum de seus públicos de relacionamento?

Seu Titanic pode estar afundando e você aí tomando seus drinks no convés.

****

Conheça

Cultura organizacional para empresas inovadoras (curso)

Trabalhe melhor: reflexões sobre o universo do trabalho e das empresas para profissionais do século XXI (livro)