A adoção de um hábito simples transformou a frequência e melhorou a qualidade da minha produção de conteúdo.

Contei em um artigo recente que crio blogs e gosto de compartilhar ideias na internet há muitos anos. Comecei a gostar de escrever quando ainda trabalhava em um banco e nem sonhava que isso poderia ser um pilar fundamental do meu próprio negócio.

Escrever era apenas uma atividade para as horas vagas. Apesar de ser uma atividade que sempre me deu muito prazer, era apenas diversão. Nada além disso.

Nessa época escrevia sem periodicidade e sem planejamento. Quando tinha algo a dizer e algum tempo disponível, sentava e produzia um novo post para o blog ou para minhas redes sociais.

Até aí tudo bem. O problema foi que deixei de compartilhar muita coisa porque eu não tinha disciplina para escrever diariamente. Deixei de registrar aprendizados importantes da minha jornada porque a rotina estava caótica e eu não conseguia sentar para organizar as ideias.

Mais que isso, meu processo criativo se restringia a sentar e escrever um texto completo. Da ideia inicial até a publicação. Se não fosse assim, eu não escrevia.

Isso limitou minha capacidade de produção durante anos.

Quando comecei o LabFazedores, decidi que a produção de conteúdo de valor seria um pilar da minha nova etapa profissional. Percebi imediatamente que precisava abandonar esse preciosismo. Sentar e escrever apenas “quando vinha a inspiração”, simplesmente não era um bom método.

 A mudança essencial nesse processo foi a decisão de exercitar a escrita diariamente, anotando insights e ideias incompletas.

Abandonei a crença limitante de que precisava sentar e finalizar um texto para publicação imediata. Os rascunhos passaram a ter vez.

Eureka! Passei a produzir mais e melhor.

O exercício de abrir o Evernote diariamente (eu uso Evernote, mas pode ser qualquer outra ferramenta similar) para registrar meus pensamentos fez com que a escrita deixasse de ser uma atividade esporádica. Ter me livrado da cobrança pessoal de revisar e publicar conteúdos a cada vez que eu sentava para escrever algo foi libertador.

Além disso, os registros divididos por temas passaram a ser uma rica fonte de referências.

Olhando as pastas consigo juntar ideias que foram geradas em ocasiões diferentes. Percepções registradas com objetivos distintos podem se conectar em um mesmo artigo. Os arquivos também permitem identificar quais ideias se tornaram obsoletas, pois meu conhecimento evoluiu. Meus rascunhos são o melhor termômetro dos assuntos que estão capturando minha atenção.

Passei a ter uma visão ampla dos temas que quero abordar e aprofundar. Por outro lado, percebo aqueles que não darei continuidade.

Essa base comum de conhecimento pode se desdobrar em diferentes formatos: artigos, posts, aulas, palestras, vídeos, podcasts e tudo mais que eu produzo.

Quando me permiti registrar pensamentos e percepções da forma mais crua possível, sem amarras, comecei a produzir mais e melhor. Adquiri o hábito da escrita e não fico mais frustrado por esquecer algum insight que poderia virar um conteúdo valioso para alguém.

Algumas ideias talvez nunca sairão do rascunho, mas a vivência de escrever todos dias me faz evoluir pouco a pouco.

Comece a registrar seus pensamentos e percepções.

 

 

**********************************************************************

Conheça meu livro

 

A descoberta dessa paixão pela escrita resultou no meu primeiro livro.

Trabalhe melhor é um livro para quem quer ser um profissional relevante e compreender as transformações do mundo do trabalho.

livro é fruto de mais de dez anos de vida corporativa e também do meu processo de reinvenção profissional em busca de criar um negócio que opere em sintonia com meus valores pessoais e com o contexto do século 21.

Te convido a conhecer. Quem já leu, gostou.