Quando o LabFazedores tinha recém começado, tive uma conversa significativa com um dos meus mentores.

Contei para ele todos os meus planos para os primeiros passos da empresa e como tinha me preparado para a transição de carreira. (Sim, eu tinha um excelente combo “salário + benefícios”, uma posição reconhecida e uma carreira em ascensão). Falei sobre planejamento financeiro, metas, gestão do tempo, etc.

Dentre tantos conselhos práticos que recebi nesse dia, foi uma outra lição (de caráter essencial) que ficou gravada em minha mente. 

Lá pelas tantas, ele me disse assim:

“Que bom que você tomou essas precauções e está fazendo todo esse planejamento, mas saiba que seu dinheiro vai acabar em algum momento, que várias dessas metas não se realizarão, e que esse planejamento estratégico vai ser alterado muitas vezes. Se eu tenho uma certeza, é essa. 

Isso tudo vai acontecer enquanto outras tantas coisas estarão dando certo também. Acredite, o caminho jamais será linear. Aprender a lidar com os altos e baixos é o que fará diferença”.

De lá pra cá, lembrei dessa lição em todos os momentos nos quais a realidade se impôs. 

Não estou dizendo que o planejamento e o preparo são dispensáveis. Sem eles, eu já teria morrido na praia. Nem estou dizendo que as coisas estão dando errado, pois tudo está caminhando. 

O que eu estou dizendo é que, mais vezes do que você gostaria, os fatos vão ignorar seus planos e virar tudo de cabeça para baixo.

Sabe aquele clichê sobre a vida não estar nem aí para o seu planejamento? Ele é um axioma no empreendedorismo.

Vai dar errado muitas vezes. Vai dar certo tantas outras. Tudo ao mesmo tempo.

Tem uma frase do Seth Godin que eu adoro e sempre cito:

Se eu falhar mais do que você, eu ganho. A capacidade de continuar a jogar está construída nessa noção. Se você consegue seguir jogando, mais cedo ou mis tarde será bem-sucedido.

Nos momentos em que tudo estiver do avesso, sabe o que vai sobrar? Os motivos pelos quais você está fazendo.

Qual é o seu porquê?