fbpx

A importância de reconhecer o trabalho alheio é um tema que sempre abordo quando conduzo treinamentos e mentorias com líderes e futuros líderes.

Gosto de introduzir o assunto a partir de uma conversa aberta sobre as rotinas de suas equipes. 

Ao falarem sobre o dia a dia, a percepção aparece na fala da maioria dos gestores: preciso me esforçar mais para reconhecer o trabalho dos membros do meu time.

Quando investigo as razões, as justificativas se repetem.

“Tenho estado muito ocupado”. “Só tenho tempo para apagar os incêndios”. “Não achei que era tão importante”. “Eles não estão fazendo mais que a obrigação”. “Eles ganham para isso”. “Alta performance é o esperado por aqui”. “No meu tempo, não havia isso de ser reconhecido”.

Perceba que as respostas geralmente traduzem uma visão egoísta, em que a percepção individual orienta os julgamentos sobre as necessidades dos outros.

Um grande erro, já que precisamos de outras pessoas para atingir quaisquer resultados.

Profissionais com perfil realizador possuem intenso foco em suas próprias capacidades. Quando esses profissionais se tornam líderes, precisam aprender a mudar o foco para os outros.

Quando um líder deixa de reconhecer a contribuição de um liderado, além de cometer uma injustiça, está privando um ser humano da recompensa emocional que acompanha a realização de um objetivo.

Quem nunca se sentiu frustrado por não participar das glórias daquilo que ajudou a construir?

Lembre-se desse sentimento quando você estiver no papel de chefe e não seja a pessoa responsável por provocá-lo nos outros.

O reconhecimento está diretamente relacionado ao significado que as pessoas atribuem ao seu próprio trabalho. 

Crie uma cultura positiva, em que as contribuições individuais são reconhecidas simbólica e materialmente.

Quando um líder me diz que não tem tempo para valorizar as contribuições dos membros da sua equipe não há algo errado com sua agenda, há algo errado com sua atitude.